Chegando em Dublin

25 jul

Já faz alguns dias que cheguei e vou tentar contar como foi a viagem até Dublin e os meus primeiros dias na cidade.

Os vôos

O vôo São Paulo-Madri foi tranquilo embora bastante cansativo. Quase 13 horas dentro do avião não é moleza! Não tenho medo de voar e normalmente consigo dormir, mas dessa vez foi diferente. Não havia posição confortável para tirar uma soneca e qualquer lado que eu tentasse me virar doía uma parte do corpo. Concluindo, não consegui pregar o olho!

Algumas pessoas com as quais conversei antes da viagem me disseram que o vôo da Iberia era bem ruim e, para falar a verdade, não vi nada de diferente de outras companhias aéreas com as quais já viajei.

A única variação que consegui notar é que os comissários da Iberia não são tão simpáticos e o avião não tem TVs individuais como os de outras empresas. A comida, por exemplo, é a mesma porcaria de sempre!

Dublin vista do alto

Depois das muitas horas sem dormir, pousei em Madri, pois o vôo até Dublin não é direto. Fiquei impressionada com o Aeroporto Barajas. Cooooisa liiiinda! Como eram seis e pouco da manhã, no horário de Madri, não tinha movimento algum por ali.

Logo de cara vi umas garotas dormindo no chão e pensei em fazer o mesmo. Brincadeira! Ainda não estou tão #descontraente assim!

Apesar do Barajas ser enorme, achei o portão do meu embarque com facilidade. Sentei e li um livro por umas duas horas, quando começaram a aparecer mulheres com lenços cobrindo os cabelos.

Rá! Estava muito fácil para ser verdade! No portão e no horário que minha passagem indicava, na verdade, sairia um avião para Tânger. Porcaria, eu só tinha mais 30 minutos para descobrir onde estava o avião para Dublin!

Aeroporto Barajás Madri

Me localizei e consegui entrar na aeronave. O trajeto de Madri-Dublin, foi mais tenso. O avião desta vez era pequeno, o tempo estava bastante nublado e o bicho tremia por cada nuvem que passava. Em alguns momentos pensei: “não é possível que em 1o horas não morri, vou morrer à duas horas de Dublin!”

A imigração

Levei um susto no controle de imigração. Entreguei as cartas da escola ao agente e ele, com cara de poucos amigos, lançou: “I’ve never heard about this college” (nunca ouvi falar dessa escola).

Eu sabia que ele ia encrencar. Pensei que seria deportada e comecei a suar frio! O homem colocou a carta contra a luz procurando alguma marca d’água no papel. Depois pesquisou no Google para ver se a escola existia e, não contente, ligou para lá.

Perguntou se estavam esperando uma aluna com meu nome e, graças a Deus, a pessoa que atendeu na escola explicou direitinho e o agente ficou mais calmo. Enfim, o Irish carrancudo me liberou e a partir desse momento nada mais me deteria.

Fiquei muito feliz por encontrar minha bagagem, depois de passar pela imigração. Ufa, as duas malas estavam lá. E eu achando que elas iriam se extraviar.

A gente não consegue controlar os pensamentos negativos diante do desconhecido mas tudo deu incrivelmente certo!

A casa

A casa que eu estou morando é antiga, mas bastante grande. Tem oito quartos, quatro banheiros mais cozinha e sala de estar.

Fica em uma região chamada Glasnevin, em Dublin 11. É um pouco longe do centro de Dublin, cerca de 45 minutos andando, mas fica em um bairro tranquilo, arborizado e cheio de crianças loirinhas andando de bicicleta pelas ruas.

casa típica irlandesa Dublin

Em Glasnevin ficam dois importantes pontos turísticos da cidade: o National Botanic Gardens e o Glasnevin Cemetery,  o maior cemitério da Irlanda, criado em 1832.

Agora, que é férias de verão na Europa, a casa está cheia de espanhóis (eles vêm para cá estudar inglês nas férias escolares). No dia que cheguei, quinta-feria, 22 de julho, eu dividi o quarto com uma espanhola ,Virgínia, mas ela foi embora na noite seguinte e por enquanto tenho o quarto só para mim. Espero que a próxima roommate  (companheira de quarto) não seja uma brasileira, para poder praticar o inglês.

O pessoal na residência é muito bacana!  Gostei particularmente da Maria e do Javier, ambos espanhóis, que falavam um inglês bem bom mas muito carregado no sotaque, e do Eder e da Priscilla, brasileiros que têm me ajudado a não ficar tão perdida por aqui.

Por enquanto é isso! No próximo post vou falar das minhas impressões sobre a escola. As aulas começam na próxima segunda-feira. Até lá!

Obs.: Ah, para quem ainda não sabe #descontraente é um neologismo que soma os adjetivos descontraído e atraente.

13 Respostas to “Chegando em Dublin”

  1. Vivian Stychniki julho 25, 2010 às 4:09 pm #

    Nossa, quanta novidade em tão pouco tempo. Estou encantada! Aproveite o máximo, Ana Maria! E boa aula na segunda!😛

  2. Gabriel julho 25, 2010 às 9:48 pm #

    Ah, vc é uma neologista agora

  3. Ana Paula Marques julho 26, 2010 às 10:27 am #

    Rá! Aprendi a ser neologista com o Cristiano!

    • Durval julho 26, 2010 às 10:08 pm #

      Olá, parabéns pel Blog… estou indo para Irlanda dia 20 de setembro via Madri.. estou com uma duvida… vc teve q passar pela Imigraçao na espanha?

  4. Ingrid julho 26, 2010 às 4:51 pm #

    Que estranho a imigração irlandesa encrencar, porque Irlanda não faz parte de UK, e imigração de UK é que tem a fama chata. Que bom que tudo deu certo! Boa sorte e aproveite as Irish Ales daí, gatam!

  5. Ana Paula Marques julho 26, 2010 às 11:49 pm #

    Olá Durval, obrigada pela visita!

    Se vc vai fazer conexão em Madri, fique tranquilo que vc NÃO irá passar pela controle de imigração não.

    A única que vc terá que fazer é passar a bagagem de mão pelo raio-x e mostrar a passagem aérea, sem mais perguntas. A bagagem que você despachar em São Paulo irá direto para Dublin.

    Quando chegar conte-nos como foi a sua experiência.
    Boa sorte!

  6. Vick julho 27, 2010 às 5:24 pm #

    Oba Ana, logo de cara encontrou uma xará minha…rsrsr…
    queria eu estar no lugar dela!
    Estou adorando as postagens!
    Bjo

  7. thalles julho 27, 2010 às 5:33 pm #

    ola ana paula!
    tud bom?

    estou indo para dublin em 2011… vc poderia me adicionar no msn?

    th_rzo@hotmail.com

  8. Carol julho 28, 2010 às 12:24 am #

    Legal, Ana.
    Escreva sempre. Estou pensando seriamente em tirar um ano sabático também e ir ano que vem. Virei sempre ver as novidades.

    Boa sorte🙂

  9. Vivis Duarte julho 28, 2010 às 1:21 pm #

    Agoraaaaaaaaaaaa sim entendi tdinho!
    Depois de ter ignorado meu twitti! hahah
    Boa sorte flor… e aproveite cada coisinha nova…

  10. Pollyane abril 13, 2011 às 3:20 am #

    Oi Ana,

    nossa, adorei o sei site!!!
    Estou indo para Dublin em 25/05 e tenho algumas duvidas, se puder me add no mns eu vou ficar muito feliz.

    Super beijo

    Polly

    pollyanediasf@hotmail.com

    • Ana Paula Marques abril 14, 2011 às 5:35 pm #

      Oi Pollyane,

      fico feliz que você tenha gostado do blog. Sua visita é sempre bem vinda!
      Já te adicionei no MSN. A gente se fala para tirar as suas dúvidas.

      Beijos Ana

Trackbacks/Pingbacks

  1. Controle De Os Dublin | Actual Percentil - março 27, 2015

    […] Chegando em Dublin | Sabaticando em Dublin – Já faz alguns dias que cheguei e vou tentar contar como foi a viagem até Dublin e os meus primeiros dias na cidade. … Levei um susto no controle de imigração. […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: