As despedidas

13 jul

Dar tchau é o momento mais difícil! É a hora que você se dá conta de quantas pessoas importantes está deixando para trás… E que você vai ter que esperar um ano (um longuíssimo ano) para encontrá-los de novo.

É uma interrupção pela qual você não gostaria de passar. Mas toda escolha traz consigo uma renúncia.

Quem vai ficar muito tempo longe das pessoas que ama, normalmente, faz uma festa, um encontro ou  algo semelhante para se despedir. Eu fiz duas e ganhei mais uma – surpresa – na editora onde eu trabalhava. E essas reuniões sempre têm uma carga emocional muito elevada.

É quando o amigo lembra daquela festa que você passou mal e sujou o carro dele, a amiga comenta que no próximo Carnaval você não vai estar ali para pular atrás do bloco preferido da turma e a irmã mais velha traz um caderno com recados de cada amigo e parente presente na despedida…

Quantos churrascos, aniversários, festas à fantasia, viagens, bares e encontros de finais de semana você vai perder?

Não há como negar que serão muitos, inúmeros… Mas experiências inéditas estão por vir, amigos novos estão à sua espera do outro lado do oceano e, no final, a distância e o tempo que passou terão servido para urgir os laços de amizade que ficaram na terra natal.

Uma frase do livro “Intercâmbio de A a Z”, de Marina Motta é bastante incentivadora. “A constatação de que sempre voltamos diferentes (e melhores) de cada viagem, de que a saudade passa, de que os amores verdadeiros esperam e de que o tempo não volta é a principal razão de querer compartilhar a minha vivência com todos aqueles que tenham o desejo de experimentar o sabor do mundo”, diz Marina.

Provavelmente, na volta, tudo estará da mesma maneira, mas você  será uma pessoa diferente e mais completa e isso basta para fazer tudo valer a pena!

Um dos maiores escritores da língua portuguesa, José Saramago, sabiamente disse: “o mundo é muito grande para nascermos e morrermos sem nunca ter saído do lugar!”

2 Respostas to “As despedidas”

  1. Vivian Stychniki julho 25, 2010 às 4:03 pm #

    Você mereceu cada uma dessas lindas despedidas! Amo você!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Dúvidas e certezas: hora de voltar pra casa. « - julho 4, 2011

    […] sensação de deixar Dublin para trás é exatamente a mesma que descrevi no segundo post desse blog. […] quantas pessoas importantes estou – novamente – deixando para […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: